Notícias

Perspectivas para o mercado imobiliário em 2021

O mercado imobiliário sempre foi um termômetro da economia. Assim, em período de pandemia, será que esse setor da economia, no qual há venda e aluguel de imóveis, bem como a construção de novos empreendimentos, estará aquecido?


Será que o mercado imobiliário é uma boa área de investimentos no ano de 2021? É sobre isso que falaremos, confira! 

Por que investir no mercado imobiliário? 

Investir no mercado imobiliário sempre foi considerado um bom investimento. Só para se ter uma ideia da veracidade dessa frase, no ano de 2020, um ano pautado pela recessão e desemprego, o mercado imobiliário esteve em alta, surpreendendo até quem é otimista. 

De fato, houve um crescimento de 58% no período, com financiamentos e volume dedicado à construção de empreendimentos chegando na marca de R$ 124 bilhões, o que ultrapassa o recorde anterior de R$112,9 bilhões do ano de 2014. 


Em relação aos financiamentos, dados fornecidos pela Associação Brasileira de Entidades de Crédito Imobiliário e Poupança (ABECIP), foram financiadas 426,8 mil unidades, o que representa uma alta de 43,2%. 

Mas por que houve esse aumento? 

Os bancos baixaram um pouco as taxas de financiamento, uma vez que a taxa SELIC, considerada a taxa base da economia, ficou em modestos 2%. 

Além disso, com a pandemia, muitas pessoas passaram a trabalhar de casa e assim, buscaram imóveis maiores, que pudessem abrigar novas formas de trabalho. 


Mercado imobiliário para 2021 

A previsão de analistas é que o mercado seguirá aquecido, mesmo com a continuação da pandemia, embora seu crescimento possa ser menor. 

Até o final de 2021, acredita-se que a taxa SELIC suba um pouco, chegando até 3,5% no máximo. Com isso, pode haver encarecimento do crédito imobiliário, o que pode afastar um pouco novos clientes. 

Mas, os preços dos imóveis ainda estão em defasagem se compararmos com o boom imobiliário de 2014. Portanto, continua sendo uma boa época para adquirir imóveis. 

Ou seja, você vai conseguir adquirir um imóvel com um preço ainda em defasagem, com baixas taxas de juros e boa oferta de crédito imobiliário no mercado. 

Porém, não há pressa. Não há indicativos, de fato, que o mercado subirá os preços como foi em 2010 e 2011. Portanto, o investidor pode ter calma e procurar o que mais lhe agrada e o que melhor encaixa em suas prioridades. 

Conclusão 

O mercado imobiliário representa um setor que, apesar da recessão causada pela pandemia, mostrou um grande crescimento no último ano. 

Com isso, a perspectiva para 2021 é que o mercado continue aquecido. Somado às baixas taxas de juros, o financiamento de imóveis pode ser uma boa opção e o interessado deve agir com calma e procurar o imóvel que melhor se encaixa no que ele deseja ou precisa. 


LEIA MAIS

RECEBA NOVOS CONTEÚDOS